Blogger Layouts

quinta-feira, 23 de junho de 2011

COMIDA DE BUTECO DE BH



PERNIL SEM PÉ NEM CABEÇA

Rendimento: 20 porções

1 pernil de 8kg
1 molho de salsa
1 molho de cebolinha
1 kg de cebola roxa
2 colheres (de sopa) de alecrim em flocos
½ garrafa de vinho tinto seco
150g de alho e sal socados
5 limões capeta
300g de bacon em pedaços

MODO DE PREPARAR

1. Dissolver o alho e o sal em um copo de vinho.
2. Picar a salsa, a cebolinha, as cebolas, misturar com os limões, o restante do vinho e o alecrim.
3. Furar o pernil e colocar a mistura de vinho, alho e sal nos orifícios, tampando-os com os pedaços de bacon.
4. Envolver o pernil e a salmoura em papel laminado e levar ao forno por 3 horas.
5. Após esse tempo desenrolar e voltar ao forno por mais 45 minutos.

Acompanhamento: farofa e salada de alface e tomate cereja

(Receita do Bar do Júnior)

sábado, 18 de junho de 2011

COMIDAS TÍPIDAS DAS FESTAS JUNINAS


Conta a história que as comemorações juninas surgiram na época pré-gregoriana, em comemoração à fartura das colheitas, no solstício de verão, onde faziam-se uma grande festa pagã para agradecer a fertilidade da terra. Essa festa era realizada no dia vinte e quatro de junho.

Aos poucos a festa foi sendo difundida por todo o Brasil, tendo chegado ao nosso país através da colonização dos portugueses.

Nessa data o milho está em evidência em nossas plantações, sendo a base de todos os alimentos consumidos nas festas juninas.

Dentre tantos pratos deliciosos podemos destacar a canjica, o curau, a pipoca, a pamonha, o bolo de milho, o caldo de milho, milho cozido, dentre outros. Porém, não são apenas esses alimentos que compõem a culinária da festa.

Dependendo da região onde for realizada, a festa junina apresenta um caráter peculiar com a cultura da localidade.

Várias são as opções para se fazer uma boa festa junina. O mané-pelado é um bolo feito de mandioca crua, ralada; a paçoquinha é feita de amendoim torrado, bolacha de maisena e leite condensado; a maçã do amor é uma maçã mergulhada em calda de açúcar, com um cabo de palito de picolé; bolo de coco; cachorro-quente, o delicioso pãozinho com molho e salsicha; pé de moleque, feito com rapadura e amendoim torrado; pinhão cozido, uma castanha característica do sul e o famoso quentão, feito com gengibre, canela e pinga.

As festas juninas são conhecidas como características da igreja Católica Apostólica Romana, por manter culto de veneração a três santos: São João, Santo Antônio e São Pedro.

Dessa cultura religiosa surgiram as quermesse ou festas de barraquinhas, onde são vendidos esses deliciosos alimentos, além de artesanatos, a fim de arrecadar verbas para as benfeitorias da igreja.

Essas festas também são conhecidas como festas de caridade e durante a realização das mesmas acontecem várias brincadeiras, também para se arrecadar fundos. São feitos pequenos leilões de alimentos, onde os lances chegam a valores bem maiores que os das prendas, mas somente para levar animação ao momento, além de fazer a doação para a igreja.

Mas o importante mesmo é se divertir e comer as delícias das festas juninas.

(Por Jussara de Barros - Graduada em Pedagogia - Equipe Brasil Escola)

PÉ DE MOLEQUE


Rendimento: cerca de 60 pedaços

1 kg de amendoim torrado, sem pele
1 rapadura

MODO DE PREPARAR
1. Junte a rapadura com água e faça um melaço em ponto de bala mole.
2. Moa metade do amendoim torrado (no pilão, no moinho ou no liquidificador), deixando a outra metade em grãos inteiros.
3. Quando o melado estiver no ponto, retire do fogo e junte todo o amendoim, batendo até quase açucarar.
4. Vire no mármore e corte antes de esfriar.

Receita da pesquisadora e mestre em cozinha mineira Maria Stella Libânio Christo. Foi extraída do livro Fogão de Lenha – 300 anos de Cozinha Mineira

PAÇOCA DE AMENDOIM



Rendimento: 4 porções

4 xícaras (chá) de amendoim torrado e descascado
2 xícaras (chá) de farinha de mandioca torrada
1 xícara (chá) de açúcar refinado
1 colher (chá) de sal
4 bananas nanicas

MODO DE PREPARAR

1. Coloque todo o amendoim no pilão e soque até que o mesmo fique totalmente triturado, com textura de pasta de amendoim.
2. Em seguida, acrescente o restante dos ingredientes e envolva bem.
3. Para finalizar, soca-se novamente ate ficar bem homogêneo e com textura úmida.
4. Serve-se com banana nanica.

Receita do chef Anderson Rodrigues, consultor em turismo, pesquisador da culinária regional e professor do Senac

PAMONHA DE SAL



Rendimento: cerca de 10 pamonhas

30 espigas de milho verde (bem granado) em sua palha
1 xícara (chá) de banha de porco (ou manteiga)
Sal a gosto
150 g de queijo minas fresco em fatias

MODO DE PREPARAR
1. Tire a palha das espigas, reservando as mais tenras para usar como invólucros.
2. Rale o milho*, escalde a massa obtida com banha bem quente e coloque o sal.
3. Faça um copinho com a palha de milho, coloque uma concha do preparado, uma fatia de queijo e feche com um outro copinho colocado no sentido contrário.
4. Amarre com uma fita de palha no centro da pamonha.
5. Em panela grande e em água fervente mergulhe as pamonhas deixando-as cozinhar até que a palha verde fique amarela e as pamonhas firmes.

(*)Não se recomenda processar ou liquidificar o milho pois sua textura ficará comprometida.

Receita de Mara Salles, do restaurante TORDESILHAS - Rua Bela Cintra, 465, São Paulo (SP), tel. (11) 3107-7444)

BOLO CREMOSO DE MILHO


300g de milho verde
100ml de leite de coco
100ml de leite
4 ovos
80g de requeijão cremoso
150g de açúcar
40g de manteiga
20g de farinha de trigo
30g de fermento

MODO DE PREPARAR

Bata todos os ingredientes no liquidificador, coloque em forma untada. Asse em forno pré-aquecido a 180º C, por 30 minutos.

CURAU




3 espigas de milho verde
1 litro de leite (ou o quanto baste)
2 xícaras (café) de açúcar (ou a gosto)
Canela em pó a gosto (se desejar)

MODO DE PREPARAR

1. Retire as cascas, lave as espigas e raspe para retirar os grãos.
2. Bata o milho no liquidificador com um pouco do leite e coe na peneira fina.
3. Leve ao fogo numa panela, coloque açúcar e mexa em volta, com colher de pau. Quando começar a engrossar, acrescente leite quente aos poucos até cozinhar bem e ganhar consistência de mingau grosso, mexendo sempre, senão embola. Sirva quente ou frio. Se gostar, polvilhe com canela em pó.

MARAVILHA!!!

TUDO SOBRE QUENTÃO



História
Ele é a típica bebida das festas juninas. E como as comemorações em homenagem a santos como Santo Antônio, São João e São Pedro se realizam por todo o Brasil no mês mais frio do ano, foi providencial que o quentão se tornasse um ícone. Seu poder de esquentar o corpo não tem uma origem comprovada, mas sabe-se que deve ter surgido no interior dos estados de São Paulo ou Minas Gerais, onde a população rural passou a misturar pinga com gengibre e especiarias e ferver tudo ¿ criando uma bebida não apenas ótima para aguentar o inverno, mas também para aguçar o paladar.

Nutrição
O quentão mais tradicional é feito com cachaça e adicionado de um pouco de água, açúcar, lascas de gengibre descascado, cravo-da-índia e canela em pau. A bebida, depois de fervida, espalha pelo ar o cheiro doce e ao mesmo tempo picante, atiçando os frequentadores de quermesses e festas juninas de todos os formatos. Exagerar no quentão, porém, não é boa ideia. Além do álcool que pode causar embriaguez rapidamente, existe a questão do alto valor calórico. Um modesto copinho de 60 ml de quentão tem nada menos que 120 calorias.

Como fazer
A forma mais comum do quentão é aquela descrita acima, com a pinga, o açúcar, água e especiarias da época. Mas existem variantes da bebida inventadas a cada festa que se realiza. Alguns preferem, por exemplo, adicionar à fervura do quentão lascas de limão e laranja, para dar um odor diferente. Outros se inspiram no preparo do vinho quente e fazem quentão do mesmo modo, acrescentando frutas sem casca picadas, como a maçã. O sabor da cachaça ainda se sobressai dessa forma, mas o quentão fica, digamos, saborizado de maçã.

Dicas de mestre
- Usar cachaça de qualidade baixa para fazer quentão é um erro. A qualidade da pinga influencia diretamente no resultado ¿ e escolher uma cachaça de boa origem, mais envelhecida, de alambique, pode fazer a diferença entre um quentão sem graça e um drinque memorável da festa junina;

- É importante seguir uma ordem na hora de preparar o quentão. Primeiro, coloca-se o açúcar na panela. Depois é hora de adicionar o gengibre picado, o cravo-da-índia e a canela em pau. Quando o açúcar estiver quase todo derretido (mas ainda claro, sem caramelizar ou queimar), é hora de adicionar a água e só no final a cachaça. É bom, também, usar um filtro de café ou funil com peneira, para separar os pedaços depois de pronto e servir apenas o líquido;

- A proporção entre água e cachaça deve ser igualada: para cada meio litro de pinga, por exemplo, coloque meio litro de água. Senão o quentão fica tão forte que ninguém passa do primeiro gole. Ou pior: passa muito...

quinta-feira, 16 de junho de 2011

PANELINHA DE COCO

Ingredientes da Massa
200g de farinha de trigo
100g de açúcar
100g de manteiga (temperatura ambiente)
1 ovo

Ingredientes do Recheio
200g de açúcar
150g de coco
1/2 copo de água
6 gemas


Preparo – Massa
1. Misture todos os ingredientes com as mãos.
2. Unte forminhas com manteiga e forre com a massa.
3. Fure o fundo e asse em forno pré-aquecido a 140º C por cerca de 5 minutos, ou até ficar levemente dourado.
4. Reserve.

Preparo – Recheio
1. Ferva a água com o açúcar até obter uma calda grossa. 

2. Junte o coco e mexa até aparecer o fundo da panela.
3. Retire do fogo e acrescente as gemas, mexendo sempre.
4. Leve novamente ao fogo, mexendo sempre.
5. Retire e coloque nas forminhas já forradas com a massa.
6. Leve ao forno pré-aquecido a 130º C por cerca de 5 minutos, até dourar a massa e o doce de coco.

(Receita gaúcha, de Pelotas - do site de Carla Pernambuco)

DOCES MARAVILHOSOS DE PELOTAS - RS

Comi tanta pessegada,
Fios de ovos e bem-casados,
E pastéis de Santa Clara,
Que fiquei cristalizado.

Lembrei desse trecho da música Pelotas, de Kleiton e Kledir


ARROZ DE CARRETEIRO


2 xícaras de arroz
4 xícaras de charque picadinho (ponha de molho por 1 dia)
2 colheres (de sopa) de azeite
1 cebola média
2 dentes de alho
1 folha de louro
Sal

MODO DE PREPARAR


1. Frite o charque na gordura até dourar e vá pingando água em quantidade necessária para cozinhar.
2. Quando a carne estiver cozida e só na gordura (o molho deve ser absorvido), junte o louro, o arroz, o alho socado e a cebola batidinha.
3. Frite tudo muito bem, cubra com água, tempere com sal, se necessário, e deixe cozinhar normalmente.
4. Sirva em seguida.

segunda-feira, 13 de junho de 2011

BOLO HOMENAGEANDO SANTO ANTÔNIO


BOLO DE SANTO ANTÔNIO

3 gemas
150 g de manteiga (ou 1/2 xícara chá)
1 1/2 xícara (chá) de açúcar
100 g de farinha de rosca (ou 6 colheres de sopa)
1 colher (sopa) de baunilha
1/2 xícara (chá) de leite
300 g de amendoim torrado e moído sem pele e sem sal
3 claras batidas em neve firme
1 colher (sopa rasa) de fermento em pó

MODO DE PREPARAR 


1, Numa batedeira, bata 3 gemas, 150 g de manteiga (ou 1/2 xícara chá) e 1 1/2 xícara (chá) de açúcar até esbranquiçar (cerca de 10 min).
2. Junte 100 g de farinha de rosca (ou 6 colheres de sopa), 1 colher (sopa) de baunilha e 1/2 xícara (chá) de leite.
3, Acrescente, aos poucos, 300 g de amendoim torrado e moído sem pele e sem sal.
4, Desligue a batedeira, junte 3 claras batidas em neve firme e 1 colher (sopa rasa) de fermento em pó.
5. Coloque as forminhas de papel (número 0) dentro das forminhas de alumínio para empadinhas e preencha cada uma com 2 colheres (sopa) de massa do bolo (deixando cerca de 1 cm de borda sem preencher).
6. Polvilhe amendoim picado.
7. Leve ao forno baixo (160ºC) por 35 minutos.

Salve Santo Antônio!!!

sexta-feira, 10 de junho de 2011

Está com frio?? Que tal um chocolate quente diferente??

Chris Campos/UOL



Chocolate quente com lima-da-Pérsia

300 gr de chocolate amargo
400 ml de creme de leite
30 gr de manteiga sem sal
600 ml de leite
suco de 1 lima-da-Pérsia + raspas da casca
5 ml de essência de baunilha
20 gr de amêndoas

MODO DE PREPARAR

1. Coloque o chocolate para derreter em banho-maria junto com 100ml de creme de leite e a manteiga.
2. Assim que derreter, acrescente o suco de lima-da-Pérsia e as raspas da casca.
3. Dilua esse creme no leite e despeje em taças individuais.
4. Torre as amêndoas e depois moa, fazendo uma farofinha.
5. Com o restante do creme de leite, bata um chantilly temperado com a baunilha.
6. Decore as taças com esse creme e um punhado de farofa de amêndoas.
(Chef Checho Gonzáles, do Aji)

terça-feira, 7 de junho de 2011

BRUSCHETTA



A bruschetta é um dos antepastos mais deliciosos e tradicionais. A caponata não é diferente. A união destas duas receitas vai supreender você!

1 unidade de berinjela pequena
quanto baste de azeite
1 dente de alho
6 fatia de pão italiano filão
1 unidade de pimentão vermelho em cubos médios
1 unidade de abobrinha em cubos médios
1 unidade de cebola
quanto baste de sal
quanto baste de pimenta do reino branca
1 colher (chá) de orégano

MODO DE PREPARAR
1. Aqueça um fio de azeite em uma panela e refogue a cebola cortada em cubos médios.
2. Sem deixar a cebola dourar, acrescente a beringela cortada no mesmo tamanho dos outros legumes.

3. Acrescente a abobrinha e continue mexendo.
4. Quando a berinjela e a aborinha começarem a amolecer, acrescente o pimentão vermelho e continue mexendo.
5. Quando estiver cozido, mas ainda firme, desligue o fogo.
6. Coloque o orégano, corrija o sal, a pimenta e reserve.
7. Prepare as fatias de pão, uma de cada vez: aqueça uma frigideira com um fio de azeite e "frite" um dos lados da fatia de pão, em fogo baixo, até que fique dourada.

8. Retire da frigideira e, na superfície tostada, esfregue rapidamente o dente de alho.
9. Feito isso em todas as fatias, cobri-las com a caponata reservada


RENDIMENTO: 6 porções

(Receita do Chef Rodrigo Anunciato
Formado em gastronomia pelo Senac e Professor de Gastronomia na Universidade Católica de Santos)